Recortes

Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar as opiniões, porque não me envergonho de raciocinar e aprender. Alexandre Herculano

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sentimentos Mitológicos

Hoje relembrei o nosso encontro, as nossas primeiras construções, as nossas batalhas.
Relembrei que quase nos perdemos um ao outro, e como fomos empurrados de volta por uma espécie de força magnética.

Não é que eu não o soubesse desde há muito, mas ao relembrar confirmo que és e serás sempre o meu calcanhar de Aquiles.
Pergunto-me se já estivemos juntos noutras vidas, noutro tempo.
Sinto que sim, que toda esta atracção vem de algo anterior; que nos transcende, mas que nos ilumina.
Sei que se não partilhássemos o mesmo leito neste momento, pensaria demasiado em ti...
... como penso desde muito cedo, desde menina que sonha com o Amor...
Eras tu... apenas não tinhas uma face, nem um nome...
image: Quíron e Aquiles - Pompeo Batoni

15 comentários:

HAZEL disse...

Muito bonito, Marise...

costela de adão disse...

Mais uma bela confissão, declaração, o que seja. Muito bonito.

Marise Catrine disse...

Hazel,

Que pela passagem por aqui. Simples e brisarenta. ;)

Costela de Adão,

LOL! Gostei do "o que seja"! :)))
Obrigada amiga.
Miss U!
****

Maria de Fátima disse...

Olá Marise, the Brise, muito lindo e muito profundo.Beijocas grandes e fofas.

Marise Catrine disse...

Obrigada querida Fatinha!

***

Essencialma disse...

Há relações entre pessoas que não se explicam...portanto só pode vier de outras vidas!
Que lindo texto alma linda...como consegues expressar tão bem o que te vai na alma...

beijinhos cheios de luz

cezarina disse...

Amiga Marise,passe no meu blog e pegue dois mimos que lá deixei pra você! Um grande abraço e um beijo iluminado!

Marise Catrine disse...

Essencialma,

Não se explicam mesmo... Até assusta!
;)

Beijos

Marise Catrine disse...

Cezarina,

QUe bela surpresa! Obrigada!

Beijos

Adelaide Figueiredo disse...

Quem sabe se não se encontraram já noutras vidas? Tudo é possível...
Gostei muito do texto. É muito profundo.
Beijos

Marise Catrine disse...

Querida Adelaide,

Cada vez me parece mais certo que isso tenha acontecido. E talvez não tenhamos conseguido estar juntos, daí esta "loucura" toda. ;)

Obrigada pelas palavras.
**

Hod disse...

Aloha Marise Mulher menina!!!

Há algum tempo, não muito quando menina eras... o vento que enredava teus cabelos, supimpa feito garoto travêsso...
espreitava-a entre a saliências das pedras.

Agora menina mulher feita...
vezes outras refeita....subjaz na impaciencia..Porque o vento hoje mais ousado transvetindo-se em tornado envolve-a em paixões.
Não ataca mais teus cabelos, porque sabe que vai espalhar o perfume das flores que os enfeitam.....incitando mai frenesi....
Vai tipo flecha direto às emoções, soletrando a ânsia por vibração no ritmo do pulsar sistólico do teu coração.
Mistérios desorietam a razão que insiste em ignorar o sentir. Serão estes os cavaleiros patrocinados pela razão???
(Minha autoria)

Obrigado pela presença em dia tão festivo. Sua presença foi meu presente que coloriu com tons de furta cor a Aurora Boreal do Brasil lá sob o Olhar de Carpe Diem. Mulher menina neo contemporânea que dispensa transatlanticos e aviões. Viaja agora via Satélite em frações de segundos. Navegar agora é um clik em Kairós!!!! Volte sempre!!

Que muitas bençãos inundem o esto da semana!!!
Bjuss!!

Aloha!!

Hod.

Marise Catrine disse...

Hod,
MAs que bela dedicatória (se me permite considerá-la como tal)! Adorei!O prazer foi meu. É sempre bom estar na presença de seres humanos tão calorosos (ainda que no outro lado do Atlântico - hihihi).

Doces palavras, amizade e muita energia = esta é a minha visão do seu blogue!

Beijos transatlânticos.

Fada Moranga disse...

Ai menina Marise que eu não resisto a estas historias de amor! Já fiquei a fazer contas de cabeça a pensar como seria a vossa sinastria... Ai! :-)))
Bem hajas pela partilha.
Beijos***deFada

Marise Catrine disse...

Fadinha,

(suspiro).
Bem, se quiseres saber algo mais, pergunta...
;)