Recortes

Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar as opiniões, porque não me envergonho de raciocinar e aprender. Alexandre Herculano

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

O mundo muda... também nós!

Finalmente começo a entender que o facto de pararmos para reavaliar a nossa vida e decidirmos até virá-la de cabeça para baixo se necessário, não é sinónimo de insatisfação. Independentemente do que já alcançamos, ou não, a necessidade de reavaliar tudo e dedicarmo-nos um pouco mais a nós e ao que queremos, torna-se mais importante que o conforto de um dia a dia sem precalços.
Momentos houve em que achava que era uma pessoa insatisfeita por natureza. Hoje acho que apenas procuro viver intensamente a minha vida, mesmo que isso implique ter atitudes que pareçam inconstantes. Não importa se hoje gostas de azul e amanhã preferes o amarelo; não importa se estudaste para advogado e amanhã decides ser jardineiro. O que importa é como te estás a sentir em cada uma dessas fases.

Dedicatória:
Graças a um maravilhoso ser humano que voltou a reaparecer na minha vida há pouco tempo (não que eu alguma vez a tivesse esquecido), sem que tenhamos falado sobre situações concretas, tenho recebido muito feedback e energia positiva sobre estes pensamentos. Acho que essa alminha (como eu gosto de chamar) nem sabe o bem que me tem feito e a lufada de ar fresco que me envia todos os dias.
Não obstante, devo confessar que apesar da distância, lá na terra onde o sol brilha, existe outra alminha muito espiritual que continua muito presente, inclusivamente na partilha "daqueles" livros (não admira que tenhamos que passar horas ao telefone).
Gracias muchachas

1 comentário:

Carina R. disse...

Bem, só posso concordar que (re)pensar os caminhos que seguimos não significa insatisfação. Não é que a minha experiência de vida seja longa, e digamos que ainda não tive grandes situações em que após repensar sentisse que tinha de virar o meu mundo do avesso. Penso, no entanto, que quando essa altura chegar não será nenhum drama, e o que necessitar ser alterado, será... Não tenho receio de mudanças.
Ver a vida por diferentes prismas, fazer "updates" aos objectos de vida, seguir caminhos diferentes do previsto inicialmente... são processos inevitáveis na vida de todos nós.
Acho que tu sabes bem o quanto a vida pode dar voltas mas, no matter what, as coisas acabam por encontrar o seu caminho...

Beijocas dos algarves***