Recortes

Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar as opiniões, porque não me envergonho de raciocinar e aprender. Alexandre Herculano

domingo, 1 de fevereiro de 2009

O vestido

Era uma vez uma Fada que nasceu e cresceu rodeada de contos de princesas. Enquanto viveu protegida do mundo que a rodeava, a fada sentia-se tranquila e confiante convivendo alegremente com as outras fadinhas e adorando os serões passados a ouvir os relatos de belas princesas que vestiam majestosos vestidos e eram felizes para sempre, apesar dos maiores infortúnios que pudessem suceder.
Naquela época, ao chegarem a uma determinada idade, as famílias das fadas davam uma grande festa em sua honra e elas podiam usar um vestido digno de uma verdadeira princesa. Era um momento muito importante das suas vidas e, como tal, era com esse dia que todas sonhavam.
À medida que crescia, a Fada ia percebendo que o mundo lá fora não era assim tão encantador e que havia muita maldade e sofrimento. Também percebeu que as fadas eram muito diferentes umas das outras e não conseguia compreender a razão pela qual não podiam ser todas iguais, pois assim ela não se iria sentir tão estranha dentro do seu próprio clã. Mas, apesar de todas estas incertezas, conseguiu ultrapassar os obstáculos da adolescência e transformou-se numa verdadeira FADA.
Apesar de já não ser uma criança, nunca deixou de sonhar com as princesas e os seus belos vestidos e quando finalmente chegou o dia da sua festa, a Fada ficou deliciada com o momento de poder escolher um vestido que a fizesse sentir dessa forma. E assim foi. O dia chegou e assim que o vestiu, a Fada soube que aquele era O vestido, pois ao ver o seu reflexo no espelho, sentiu-se como nos contos que ouvia desde que era apenas uma fadinha e uma lágrima percorreu a sua face. Sentiu-se inundada de felicidade.
Contudo, sem que nada o fizesse prever e sem qualquer explicação, apareceu o bruxo Destino, que era conhecido pela sua malvadez e pouca tolerância para com a felicidade alheia, e roubou-lhe o vestido de princesa.
O baile não chegou a acontecer pois a Fada nunca mais se sentiu como naquele dia ao ver-se ao espelho e as suas crenças também ficaram muito abaladas, mas dentro de um cofre fechado com uma varinha de condão ela guardou o sonho de usar o seu vestido de princesa e sentir-se como uma.
Talvez o dia de abrir o cofre chegue ou talvez não, mas a Fada aprendeu com a velha Sabedoria (a fada mais antiga do clã) que o importante é sonhar e que, tal como a Sabedoria ouviu no mundo dos humanos, "o sonho comanda a vida".
Marise

6 comentários:

ana disse...

O sonho comanda a vida e nós somos timoneiros dos nossos sonhos. Só a Fada pode escolher e decidir se quer retirar o vestido do cofre - se fôr algo que a compelte e faça mais feliz - ou se o mantém guardado apenas como uma recordação de um momento. De qualquer forma, a Fada NUNCA deve deixar de se sentir uma princesa, vista o que vestir. Bjs

Guida disse...

Não é o vestido que faz uma Fada. Mas se esse facto a entristece o melhor é parar e pensar. Rever as prioridades e traçar a viagem de vida que quer percorrer. Não chega apenas sonhar. Há que dar forma aos sonhos.
Um beijinho*

Shin_Tau disse...

Há coisas que O Destino nos traz que na altura não compreendemos, mas com o amigo Tempo vem a velha Sabedoria qe nos relembra que Tudo acontece por uma razão!

O vestido está na alma, na alma está o sonho, logo o vestido está no sonho e no sonho podemos ser e vestir o que quisermos. Acredito que o Destino trará outro vestido, um que se adeque à Nova Fada!

Um beijo e adorei esta história, tão bem escrita e tão cheia de magia...hummmm.

Kisses

Marise Catrine disse...

Amiguita Ana,
Deveria ter acrescentado que com a ajuda de algumas fadinhas, a Fada nunca deixou de se sentir especial.

Guiduxa,
Não é o vestido que faz a Fada, tens razão, mas é por isso mesmo que ela se tornou numa grande Fada. Tornou-se mais forte mas guarda um sonho, como todos nós.

Querida Shin,
Também é magia percebermos o quanto estamos em sintonia com alguém. Quando terminei o texto lembrei-me de ti e sabia que irias entendê-lo. Tudo acontece mesmo por uma razão.

Obrigada! Beijocas!

"O bruxo" disse...

Acho imensa piada quando encontro pessoas que sonham com contos de fadas. A ideia não é sonhar com contos de fadas..a ideia é viver contos de fadas,e posso garantir que não são os sonhos que nos levam lá..é a vontade, a dignidade, a honra e a certeza do que queremos para nós - e nunca se esquecam que o que nós queremos, pode não ser o que todos queremos e como é óbvio temos que respeitar o "destino".

Mas pronto, não deixa de estar um conto de fadas bonito, se pensarmos num público alvo de meninas de 6 anos.

1 grande bem haja,

Marise Catrine disse...

Caro "O bruxo",
Parece mesmo o bruxo do conto que vem estragar o sonho todo. :)
Brincadeiras à parte, claro que tem razão, os sonhos conquistam-se. Acho que somos adultos suficientes para saber isso. Mas um conto não passa disso mesmo... serve para sonhar um pouco e despertar a menina (ou menino) dentro de nós.
Obrigada pelo comentário.
Volte sempre!