Recortes

Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar as opiniões, porque não me envergonho de raciocinar e aprender. Alexandre Herculano

terça-feira, 31 de março de 2009

Cinco Sentidos

Há cheiros, lugares, músicas, cores, personagens e afins que, por mais banais que pareçam, nos fazem viajar no tempo, recordar alguém ou relembrar alguma situação vivida. Não sei se é a minha veia saudosista, a minha memória visual ou o meu belo narigão, mas são frequentes as associações deste género que me invadem e percorrem os sentidos.

Há cheiros que me fazem recordar Verões passados; sabores da infância; pessoas.

Há músicas que me lembram o portofólio musical da minha mãe e como eu as ouvia e cantava com qualquer objecto na mão a simular um microfone; a minha irmã mais velha nos seus loucos 80´s; a fase da maravilhosamente estúpida adolescência; os primeiros sofrimentos amorosos; as diferentes épocas da minha relação com o meu mais que tudo...

Depois há mesmo aquelas associações mais estranhamente estranhas como ver bonecos japoneses e lembrar-me da minha irmã mais nova (sobretudo no que toca a caretas ou a gotinhas de água ao lado da face ) ou entrar num hospital e recordar o cheiro do robe da mãe.

No fundo são tudo momentos de uma vida e este post começou com um deles: ir de encontro a um episódio dos Teletubbies e recordar a minha sobrinha Bia quando era pequenina.




3 comentários:

Shin Tau disse...

Dear friend,

também tenho isso em mim, principalmente as músicas. Aliás costumo dizer que conseguia criar uma banda sonora para a minha vida :)
Os cheiros são algo importante e há uns que me recordo e associo a pessoas ou situações, principalmente de perfumes. Mas o da alfarroba, por exemplo, será sempre ligado aos anos da faculdade :)

Belo texto.

Beijocas mil e parabéns à Bia e à tia marafada

Marise Catrine disse...

Minha Shinita,
Ai o cheiro a alfarrobinha... e o sabor??
Sim, as músicas são o ponto alto, às vezes penso como seria a vida sem música. Impossível!
Adorei o "mail astrológico". Fico a aguardar novos ensinamentos.

Beijocas

Karin disse...

Ora,

e devo confessar que sou muitas vezes invadida por essas sensações. De facto, ouvir metalica faz-me lembrar da tua fase crítica da adolescência. =P

Beijocas***